portugues ingles

Fale com a gente 31 3771-7596 / 31 9 8648.0450

Inspeções Termográficas em instalações elétricas e fotovoltaicas

Inspeções Termográficas em instalações elétricas e fotovoltaicas

A Inspeção termográfica (ou termografia) é um procedimento que possibilita a medição de temperatura e a formação de imagens térmicas de um componente, equipamento ou processo, por meio de radiação infravermelha. O Termovisor é o principal instrumento de uma inspeção termográfica.

Os termovisores não medem temperatura diretamente, eles detectam a radiação térmica que atinge seu detector, que por sua vez, gera um sinal de saída, em função dessa radiação, que é processado e transformado em imagens visíveis e leituras de temperatura, conforme figura 1.


Figura 1 – Diagrama simplificado de um Termovisor

Porém, a radiação detectada pode se originar não apenas do objeto sob inspeção, mas de outras fontes envolvidas no meio em que o objeto está inserido. Nesse cenário mais complexo, as limitações e características dos personagens envolvidos na inspeção termográfica devem ser consideradas para uma análise consistente e confiável das anomalias térmicas encontradas.


A escolha correta do Termovisor para a inspeção depende do conhecimento de certas características técnicas do Termovisor, do ambiente onde ele será utilizado e do tipo de componente que será inspecionado, seguindo os fatores considerados abaixo:

·         A temperatura do objeto a ser inspecionado define a faixa de temperatura e a melhor faixa de comprimento de onda que o Termovisor deve responder;

·         A distância e dimensão do objeto a ser inspecionado define a resolução espacial e de medida;

·         A temperatura do ambiente de inspeção define a faixa de temperatura de operação do Termovisor.

Sendo assim, é importante conhecer as características do Termovisor e direcioná-las à plicação em questão.

A termografia é indicada para prevenir contra falhas e prolongar a eficiência das instalações elétricas e fotovoltaica, pois é possível a detecção, em estágio inicial, de processos de falhas gerados por anomalias térmicas em determinado componente antes que ocorra o agravamento da situação.

Na Termografia são verificados então, a temperatura do componente, temperatura ambiente, a máxima temperatura admissível (MTA) do componente, carga nominal e carga do componente no momento da medição.

Conhecer o valor da Máxima Temperatura Admissível (MTA) de cada componente é essencial, esses valores são especificados nos dados técnicos disponibilizados pelos fabricantes ou normas técnicas específicas, alguns valores de componentes são citados abaixo:

·         Cabos Isolados (dependendo da classe de isolação): 70 a 110°C;

·         Terminais: 70°C;

·         Conexões mediante parafuso: 90°C;

·         Conexões e barramentos de baixa tensão: 90°C;

·         Corpos de fusíveis: 100°C; e

·         Contatos e Articulações de Seccionadoras e Disjuntores: 100°C.

As anomalias são detectadas e classificadas segundo critérios de prioridades de manutenção e grau de abrangência dos equipamentos que venham apresentar problemas e ocasionar paralisação das instalações elétricas.

Dentre os principais diagnósticos que podem ser identificados através da termografia, os mais comuns são:

·         Sobrecarga de circuitos;

·         Desbalanceamento entre as fases;

·         Oxidação, desgaste e envelhecimento de componentes; e

·         Aperto excessivo ou afrouxamento de terminais em bornes de disjuntores.

 

Diante as anomalias detectadas as recomendações mais comuns são:

·         Reaperto das conexões elétricas

·         Distribuição uniforme das cargas entre as fases;

·         Substituição de componentes ou cabos com oxidação ou envelhecimento;

·         Substituição de proteção e cabos em sobrecargas de circuitos;

·         Entre outros....

 

Como forma de prevenir acidentes e falhas técnicas, a norma técnica ABNT NBR 15763:2009 (Ensaios não destrutivo – Termografia – Critério de definição de periocidade de inspeção em sistemas elétricos de potência) recomenda o uso da termografia em sistemas elétricos em intervalos de seis meses.

As vantagens e benefícios de realizar as inspeções termográficas são listados abaixo:

·         Elimina a necessidade de interromper o processo de produção para a realização das análises;

·         Análise das instalações elétricas e fotovoltaicas em pleno funcionamento;

·         Transmite as imagens em tempo real;

·         Reduzir o risco de acidentes;

·         Reduzir o risco de incêndio e explosões;

·         Minimiza a necessidade de realizar a manutenção corretiva;

·         Diminui o consumo de energia elétrica;

·         Maximiza a vida útil do equipamento;

·         Aumenta a produtividade;

·         Não exige contato direto com o maquinário; e

·         Aumenta a eficiência dos programas de manutenção preditiva.

 

Um cuidado especial deve ser tomado quando existe a necessidade de abertura de painéis e a aproximação de equipamentos energizados, situações em que o Termografista está exposto a grandes riscos, antes de iniciar os trabalhos de inspeção, o responsável pela Inspeção Termográfica em conjunto com o Termografista devem realizar uma avaliação prévia dos riscos (APR), estudar e planejar as atividades e ações a serem desenvolvidas de forma a atender a todos os requisitos de segurança aplicáveis à área a ser inspecionada de acordo com as normas técnicas e regulamentares como a NRs 6, 10 entre outras.




Postado por Admin



Artigos Relacionados

A alta na conta de luz pesou no bolso? Veja dicas para economizar energia
Todos nós podemos ajudar a combater o desperdício. Ao tomar atitudes cotidianas para economizar energia elétrica, ajudamos a preservar o meio ambiente, ampliamos o tempo de vida dos recursos não-renováveis e, principalmente, adiamos a construção de u..

LENZ Elétrica ® 2020 - CREA: 77.304/D | Todos os Direitos Reservados.